Destaques


Barragem dos Pequenos Libombos, 30 Anos Abastecendo Água aos Municípios de Maputo, Matola e Boane


A construção da Barragem dos Pequenos Libombos trouxe muitos benefícios para comunidades locais tais como o surgimento de duas aldeias a Massaca I e a Massaca II, pois parte dos trabalhadores envolvidos nas obras de construção da Barragem acabaram erguendo suas casas nestas aldeias.
Três grandes pilares norteam as contribuições no que concerna a responsabilidade social por parte da ARA-Sul através da Unidade de Gestão da Bacia de Umbeluzi que faz a gestão do Aldeamento dos Pequenos Libombos a saber: Posto Médico que tem assistido os trabalhadores bem como as comunidades vizinhas de forma gratuíta, Escola Primária dentro do aldeamento que para além dos filhos de trabalhodores residentes, beneficia as comunidades visinhas e Posto Policial que para além de velar pela segurança da infraestrutura também garante a segurança das comunidades visinhas.
Segundo Jaime Timba, o Director da UGBU “no que concerne à metigação de cheias, a Barragem desenpenhou um grande papel na cheia do ano 2000.
É de realçar que as experiências vividas no ano 1984, com a ocorrência de umas das grandes cheias na bacia (Demoína) quase no início da construção, notou-se que a jusante houve registo de grandes inundações si comparado com a do ano 2000 já com a barragem construída.
A Barragem dos Pequenos Libombos é um empreendimento de raiz, foi construida de terra e betão e tem uma capacidade máxima de armazenamento de 400Mm3 mas entretanto deste, 350Mm3 é o que constituí volume útil.
Esta barragem até então é a principal fonte para o abastecimento de água os Municípios de Maputo, Matola e Boane, localizando-se na província de Maputo, distrito de Boane na cadeia montanhosa dos Libombos, razão pela qual chama-se Barragem dos Pequenos Libombos.
Foi inaugurada pelo então Presidente da República de Moçambique, Joaquim Alberto Chissano, no dia 30 de Abril de 1987, pelo que este ano celebra 30 anos de existência, bodas de pérola.
As obras de construção desta barragem iniciaram a 15 de Feverreiro de 1983, impulsionadas pelo saudoso Presidente Samora Machel, que com sabedoria liderou a construção das Barragens dos Pequenos Libombos, com o intuito de garantir o abastecimento de água as cidade de Maputo e Matola. O Presidente Samora, quis assim, que o País assegurasse o devido aproveitamento do nosso potencial em recursos hídricos para o desenvolvimento socioeconómico de Moçambique.
António José Moreira D’Oliveira, técnico da ARA-Sul, afecto a Unidade de Gestão da Bacia do Umbeluzi (UGBU), recorda que o Presidente Samora Machel, acompanhou a operação de devolução do rio ao seu leito normal em 1986, no dia 25 de Março“ no caso da Barragem dos Pequenos Libombos, houve necessidade de se fazer o desvio do rio para permitir as obras de construção do descarregador central que foi construido no leito do rio. Após a construção das encecadeiras do descarregador de fundo, devolveu-se o rio ao seu curso normal”.
A Barragem foi construída no tempo da guerra dos 16 anos, felizmente a mesma não afetou o decurso normal das obras pois o Governo destacou um contingente militar para zelar pela segurança local e arredores. Após a conclusão das obras, foi criada uma força de Segurança Interna, Arone Mazuze que fez parte dessa equipe em 1987, afirma que as 6 principais entradas do recinto da Barragem estavam protegidas pelas forcas de Segurança Interna que zelavam pelo registo de entrada e saídas de viaturas.
O Acampamento da Barragem dos Pequenos Libombos é a parte residencial construída para acomodar os Empreiteiros da Firma italiana Strade Coop e da Fiscalização Coine Bellier e parte dos técnicos moçambicanos envolvidos na obra de construção da Barragem. É constituído por casas do tipo 1. 2, 3 e 4 para além de quartos suits, um clube de diversão dois refeitórios, dois campos de futebol de onze e salão, um posto médico, e uma escola primária.
Findo as obras e como forma de sub aproveitar estas infra-estruturas, parte delas foram transformadas em casas de turismo, e casas para acomodar os funcionários afectos a UGBU. Em conversa com a equipe de redacção Damiao Savene recordou que foi construído um “bunker” que agora é a sala de conferências do empreendimento, que tinha como objetivo albergar as pessoas em caso de um ataque inimigo.
Durante a época chuvosa 2016/17, a albufeira registou ligeiro incremento do volume armazenado, entretanto, não satisfatório para retomar o regime normal de abastecimento de água. Actualmente a barragem fornece cerca de 50 e 80%, do volume de água necessário para a irrigação e abastecimento de água aos Municípios da Cidade de Maputo, Matola e Boane. Deste modo, as restrições no fornecimento de água irão prevalecer até a próxima época chuvosa na espectativa desta ter uma melhor produção de água.
Nesse contexto, congratulamos os gestores que na perspetiva de assegurar a disponibilidade deste precioso liquido, evidenciaram todos o esforço nesse sentido para que a água não falte as populações.
Congratulamos ainda, a todos os trabalhadores da ARA-Sul em especial os que estão diretamente a desempenhar as suas tarefas neste grande empreendimento pelos feitos alcançados durante os 30 anos.
Bem-haja Barragem dos Pequenos Libombos!

Realizados Comités de Bacia em Todas as Unidades de Gestão


Decorreram durante o mês de Abril em todas as Unidades de Gestão reuniões dos Comités de Bacia do Umbeluzi, Maputo, Incomáti, Limpopo, Mutamba, Guiúa e Inharime respectivamente.
Naquelas reuniões, foi apresentada a avaliação da Época Chuvosa 2016/17 ao nível da bacia hidrográfica e planos de descargas das barragens para a época fresca, Abril a Setembro de 2017.
Igualmente foi apresentado e debatido o novo Regulamento da Taxa de Água Bruta Superficial Regularizada e Não Regularizada.

Técnicos da ARA-Sul Formados em Matérias de Contratação de Empreitada de Obras Públicas, Fornecimento de Bens e Prestação de Serviços ao Estado


Sob orientação dos facilitadores da UFSA e da UGEA do Ministério das Obras Públicas, Habitação e Recursos Hídricos, decorreu nos dias 11 e 12 de Maio nas instalações da Barragem dos Pequenos Libombos uma formação em matérias Contratação de Empreitada de Obras Públicas e fornecimento de bens e Serviços ao Estado, à luz do Decreto 5/2016.
Participaram nesta formação, Membros do Colectivo de Direcção da ARA-Sul, Chefes de Departamentos, Chefes de Serviços e demais técnicos que lidam com contratações. Os conteúdos abordados tinham a ver com procedimentos para contratação, memorandos de entendimentos, concursos de financiamentos com financiamento externo e gestão de contratos.
Os formandos mostraram-se bastante satisfeitos com a formação, pois foi fundamental para consolidar os conhecimentos de forma a melhorar organização interna, com vista a implementar melhor o Decreto 5/2016.
A fomação foi importante para perceber melhor a importância da comunicação nos dois sentidos e responsabilização das pessoas no que diz respeito a prestação de contas a partir da base, tendo em conta que é preciso fazer de tudo que está ao alcançe para cumprir com o Decrecto.

ARA-Sul e INAM Estabelecem Procedimentos para Melhorar o Acesso a Informação Sobre Aviso Prévio


No passado dia 29 de Maio do corrente ano, foram estabelecidos Procedimentos de Operacionalização do Memorando
de Entendimento, Sobre a Partilha de Dados Hidrometeorológicos ao nível da Bacia de Limpopo.
Trata-se de um instrumento que define procedimentos que permitirão à ARA-Sul e o INAM, melhorar o acesso a informação sobre aviso prévio de cheias e ciclones para as comunidades em risco na parte moçambicana da Bacia do Limpopo, antes, durante e após a ocorrência de cheias e ciclones, através da elaboração conjunta de mensagens simplificadas de aviso, com uma estrutura e formato único bem como de normas e padrões de fluxo de informação.
Este documento surge no âmbito do memorando de entendimento celebrado entre o INAM e a DNGRH, que estabelece mecanismos e procedimentos para a partilha entre si de dados e informação hidrometrorológicos, bem como a disseminação da mesma a terceiros à luz do Diploma Ministerial conjunto nº 21/2016 de 19 de Fevereiro dos Ministros das Obras Públicas, Habitação e Recursos Hídricos e dos Transportes e Comunicações.

Mais Água Para Vila de Massingir


Foi inaugurado esta quarta-feira, 06 de Abril de 2018,  por Sua Excia o Presidente da República, Filipe Jacinto Nyusi, o Novo Sistema de Abastecmento de Água à Vila de Massingir.
A construção do novo sistema de abastecimento de água enquadra-se na componente social do Projecto de Reabilitação das Descargas de Fundo da Barragem de Massingir, financiado pelo Governo de Moçambique através de um crédito do Banco Africano de Desenvolvimento, sendo a agência de implementação a ARA-Sul e a entidade beneficiária a AIAS.
O novo sistema, foi concebido para servir cerca de 26 mil pessoas até 2036 e visa melhorar o serviço de abastecimento de água à vila fornecendo água de melhor qualidade, aumentando os níveis de cobertura e o tempo do fornecimento.

Resultados do Estudo de Viabilidade para Construção da Barragem de Mapai


Foram apresentados os  Resultados do Estudo de Viabilidade para a Construção da Barragem de Mapai aos Parceiros de cooperação e ao sector privado.
A Barragem de Mapai, reveste-se de importância estratégica para o desenvolvimento da província de Gaza em particular, através da sua contribuição para a redução do risco de cheias, melhor gestão das secas e do aproveitamento do potencial agrícola do vale do Limpopo.

ARA-Sul e GABHIC Firmam Protocolo de Cooperação


ARA-Sul e GABHIC firmaram no dia 28 de Março um Protocolo de Cooperação que visa aprofundar o relacionamento entre as duas Instituições.
A cerimónia decorreu nas instalações da ARA-Sul, em Maputo, tendo o Protocolo sido rubricado pelo Engº. Hélio Banze, Director Geral da ARA-Sul e pelo Arq.º Carolino Mendes, Director Geral do GABHIC – Gabinete para Administração das Bacias Hidrográficas do Cunene, Cubango e Cuvelai, um acto presenciado por diversos quadros superiores de ambas as instituições.
O acordo ora assinado visa estabelecer colaboração entre as duas instituições, o que irá permitir a partilha de experiência em matéria de planeamento e gestão de recursos hídricos, incluindo a componente transfronteiriça, e a realização de programas de intercâmbio de conhecimento técnico-científico e tecnológico nas áreas dos recursos hídricos e outras áreas afins.
Uma vez que as partes nas suas áreas de jurisdição apresentam características semelhantes, com desafios a nível de gestão de cheias e secas, cooperação transfronteiriça, acordam em desenvolver, conjuntamente ou individualmente, projectos de investigação visando encontrar soluções conjuntas.

Partilha de Água na Região Sul de Moçambique


Eswatine e Moçambique Reúniram-se na Barragem dos Pequenos Libombos. Com o objectivo de discutir assuntos ligados a partilha de água entre Moçambique e os países vizinhos, realizou–se no dia 28 de Março do ano em curso a reunião do TPTC Technical Task Team, que envolve Moçambique África do Sul e Eswatini e incidiu sobre assuntos da bacia do Incomáti e a reunião do GWC Technical Task Team que envolve Moçambique e Eswatine e discutiu assuntos relativos a bacia do Umbeluzi.

Delegação de Angola Visita Barragem de Corumana


Uma delegação do Ministério da Construção e Obras Públicas de Angola, chefiada pelo respectivo Ministro, visitou a Barragem de Corumana, em Agosto último, com o objectivo de se inteirar do decurso das obras complementares em curso e estabelecer mecanismos para a troca de experiência na área de construção de infra-estruturas sociais.

Delegação de Angola Visita Barragem de Corumana


Uma delegação do Ministério da Construção e Obras Públicas de Angola, chefiada pelo respectivo Ministro, visitou a Barragem de Corumana, em Agosto último, com o objectivo de se inteirar do decurso das obras complementares em curso e estabelecer mecanismos para a troca de experiência na área de construção de infra-estruturas sociais.